“Amigos da Quinta” prestam apoio a cerca de 130 pessoas

São cerca de 10 amigos os que às quintas-feiras se juntam para servir refeições a pessoas carenciadas da Freguesia de Quinta do Anjo. A ideia surgiu em época de...

79
79

São cerca de 10 amigos os que às quintas-feiras se juntam para servir refeições a pessoas carenciadas da Freguesia de Quinta do Anjo. A ideia surgiu em época de COVID-19 mas o que é fato é que a ajuda que este grupo de amigos presta à população, com o apoio da Junta de Freguesia local e da Sociedade de Instrução Musical, já chegou a outros pontos do concelho de Palmela e também ao concelho de Setúbal.

A ideia surgiu através de Miguel Reizinho “no dia em que vi uma pessoa a mexer no lixo porque procurava comida. Como tinha vindo do supermercado acabei por lhe dar alguns alimentos que tinha”.

“Talvez por estarmos atravessar uma fase complicada a nível mundial eu e o Rui Correia começamos a acompanhar outras situações de carência, até que surgiu a ideia de fazer uma refeição por semana de take-away e dar mais uns alimentos que de alguma forma pudessem suportar essas pessoas durante a semana. Foi nessa altura que tivemos necessidade de pedir o apoio do SIM para a preparação das refeições”, recordou Miguel Reizinho, um dos mentores do projeto.

A comida preparada por Rui Correia com o apoio de outros voluntários, inicialmente começou por alimentar semanalmente cerca de 30 pessoas e de acordo com os dados mais recentes, na passada semana já procuraram ajuda alimentar cerca de 130.

“Quem pode deslocar-se à SIM para recolher a sua refeição e os repetivos mantimentos, que não tem como se deslocar é a SIM com o apoio da Junta de Freguesia de Quinta do Anjo que asseguram essa distribuição todas as quintas-feiras” explica  Miguel Reizinho.

A onda de solidariedade tem sido grande, mas a procura de apoio também tem crescido e hoje em dia os “Amigos da Quinta” já distribuíram mascaras, álcool em gel, roupa, alimentação para animais e “outros pedidos que vão surgindo como camas para bebés”. Embora o projeto deste grupo informal tenha surgido para apoiar a população da Freguesia de Quinta do Anjo, Miguel Reizinho afirma que “já estamos a apoiar pessoas em Pinhal Novo, Cajados e Setúbal. Sabemos que são localidades fora de Quinta do Anjo, mas não podemos recusar ajuda numa altura destas”, refere.

A nível de donativos “temos espaços comerciais locais que nos têm apoiado, mas também temos apoio de particulares, que sabendo o que estamos a fazer acabam por dar o que lhes é possível. Pouco ou não toda a ajuda neste momento e bem-vinda”, sublinha.

Relativamente ao apoio prestado pela Junta de Freguesia de Quinta do Anjo, António Mestre esclarece que “esta parceria surgiu informalmente, tendo o primeiro contato sido estabelecido numa situação de carência”.

“Nós estávamos numa situação de atendimento e de encaminhamento para uma pessoa que necessitava de apoio, e o Miguel passa nesse instante no carro e diz “precisa de comida, eu tenho aqui!” e assim surgiu esta feliz coincidência para o bem da população”, relatou o autarca afirmando que a partir daqui “temos tentado trabalhar em parceria, muito embora conscientes de que como grupo informal também nós a nível autárquico temos as nossas restrições para apoiar”.

“Este trabalho tem sido muito importante no apoio alimentar, mas tem sobretudo permitido à Junta de Freguesia fazer uma rápida identificação de situações sociais que surgiram agora e que nem eram do conhecimento da Rede Social”, salientou António Mestre reconhecendo que “a situação social destas pessoas não é só à quinta-feira, mas pelo menos permite-nos sinalizar os casos e fazer o respetivo encaminhamento para as instituições competentes”.

Para o autarca “vai ser muito difícil manter uma situação destas por muito tempo” uma vez que “quando faltam alimentos são estes voluntários que colocam do bolso deles para adquirir alimentos e sem apoios continuados estas pessoas também terão dificuldades em manter este projeto”, alerta António Mestre acreditando que “os problemas sociais vão permanecer por muito tempo”.

Também Susana Alves, da SIM, considera que “dada a grandeza deste projeto não poderíamos deixar de estar ao lado destas pessoas, e por isso as nossas portas vão estar sempre abertas”.

De referir que os “Amigos da Quinta” continuam disponíveis para apoiar os que mais precisam,  sendo que é possível solicitar ajudar através do número de telemóvel: 930486581. Também que pretenda apoiar este grupo informal com donativos, poderá contatar através do respetivo número.

In this article