Durante três dias Pinhal Novo acolhe a festa dos Gigantes

O FIG – Festival Internacional de Gigantes vai acontecer na vila de Pinhal Novo, de 5 a 7 de Julho, numa iniciativa conjunta da Câmara Municipal de...

214
214

O FIG – Festival Internacional de Gigantes vai acontecer na vila de Pinhal Novo, de 5 a 7 de Julho, numa iniciativa conjunta da Câmara Municipal de Palmela com os parceiros Bardoada – O Grupo do Sarrafo, ATA – Acção Teatral Artimanha, Associação Juvenil COI e PIA – Projectos de Intervenção Artística.

Durante três dias, gigantes, bombos, formas animadas, gaiteiros e máscaras vão invadir as ruas da vila, numa festa para todos os públicos, que cruza as artes tradicionais e as expressões mais contemporâneas do teatro, da música e da dança.

A 10.ª edição apresenta um programa recheado de espectáculos e propostas de animação nestas áreas, actividades para o público infantil, artesanato, arruadas com as figuras tradicionais e desfiles com centenas de participantes. A música árabe dos Al-Bashirah, os espectáculos “Papers” do Xarxa Teatre, “Olea”, pelo Visitants Teatro (Espanha) e “Calor”, de Jean Philippe Kikolas, de Espanha; o espetáculo “Oyun”, pelo El Fedito, da Argentina; o espetáculo “Insomnio”, pelo Teatro do Mar (Portugal) e o “O2 Oxigen” pela PIA/Long(Portugal/China) são algumas das propostas em destaque na programação 2019, que apresenta, ainda, espaços onde será possível degustar a gastronomia regional.

Presença bienal no calendário cultural do concelho, o FIG já conquistou um lugar no panorama nacional e europeu de festivais, ostentando o selo de qualidade EFFE 2019/2020, que o identifica como parte integrante da plataforma EFFE – Europe for Festivals, Festivals for Europe, criada pela Associação de Festivais Europeus. Esta plataforma reúne festivais de 45 países europeus.

De referir que o FIG integra também o “Palmela é Música”, candidatura de Palmela à Rede de Cidades Criativas da UNESCO,

 

História

Recorde-se que o FIG surgiu  em 1995, por iniciativa da Câmara Municipal de Palmela, enquadrado pelo Programa Municipal de Teatro, com o objectivo de sensibilizar e reunir populações em torno de um festival temático com eventos teatrais e parateatrais, confirmando, também, o carácter popular  e mobilizador desta arte.

As figuras gigantes em Portugal (que poderá ser um dos países de origem de manifestações desta natureza) terão surgido pela primeira vez no séc.XIII, num ato processional em Alenquer. Estas figuras podem ser a raiz de algumas das figuras populares que chegam até aos nossos dias (santa coca, a serpe, os dragões, etc), sendo, normalmente, alusivas a monstros que representam a usual dicotomia bem/mal.

 

 

In this article