Dia Nacional dos Centros Históricos assinalado em Palmela com apresentação de catálogo

Preservar a memória da vila é o objectivo do catálogo da exposição “80 Anos de Iluminação Pública Elétrica. Palmela 1938. “Felizmente, a Luz!”. O catálogo foi apresentado...

54
54

Preservar a memória da vila é o objectivo do catálogo da exposição “80 Anos de Iluminação Pública Elétrica. Palmela 1938. “Felizmente, a Luz!”. O catálogo foi apresentado na passada quinta-feira, dia 28, na Biblioteca Municipal de Palmela após uma visita guiada ao Centro Histórico que pretendia mostrar algumas das marcas da história da iluminação da vila.

Para a elaboração deste catálogo foi realizada a primeira investigação sobre património energético do concelho. A obra reúne peças presentes em museu, assim como documentos técnicos, que permitem conhecer a história da iluminação e da energia em Palmela. A investigação decorreu ao longo de dois anos. “Foi um trabalho árduo”, comentou Teresa Rosendo, Coordenadora do Serviço de Património Cultural do Museu Municipal, salientado a importância da comunidade local para o desenvolvimento deste catálogo “o melhor para a história contemporânea é falar com quem lá esteve, algumas pessoas foram fundamentais pelos depoimentos prestados”. A coordenadora explicou ainda que o processo de iluminação foi lento, uma vez que apesar de ter sido em 1938 que a energia começou a surgir em Palmela, “só depois do 25 de Abril é que foi possível o abastecimento de energia eléctrica na zona rural”.

Álvaro Amaro, presidente da Câmara Municipal de Palmela, presente na inauguração do catálogo, elogiou a vila referindo que “Palmela tem uma visão luminosa de gostar de trabalhar a sua história, o seu património e as suas memórias”. Segundo o presidente, foi desempenhado um “trabalho de qualidade” ao colaborar “com as memórias vivas da nossa comunidade, com as cidadãs e os cidadãos que nos emprestam o seu conhecimento e as suas vivências”. Álvaro Amaro reconheceu a colaboração da população como “um ato de cidadania louvável que permite a partilha do interesse colectivo”, agradecendo desta forma o trabalho prestado por todos os envolvidos no catálogo.

 

Lígia Neves

In this article